TSE divulga divisão do fundo eleitoral para as eleições deste ano; veja quanto cada partido receberá - BLOG DO GERALDO ANDRADE

terça-feira, 21 de junho de 2022

TSE divulga divisão do fundo eleitoral para as eleições deste ano; veja quanto cada partido receberá

Após muita discussão no Congresso Nacional sobre o valor do Fundo Especial de Financiamento de Campanha (FEFC), popularmente conhecido como fundo eleitoral, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) divulgou o montante que será destinado aos 32 partidos políticos para as eleições deste ano.



O valor total é de R$ 4,9 bilhões. O União Brasil, maior partido político atualmente, ficará com o maior repasse, na ordem de R$ 782,5 milhões, 15,77% do montante total. Em seguida aparece o PT, que receberá R$ 503,3 milhões, 10,15% do total.


Na sequência aparecem o MDB, com R$ 363,2 milhões (7,2%), PSD com R$ 349,9 milhões (7,05%) e o PP, com R$ 344,7 milhões (6,95%). Clique aqui e confira a relação completa com todos os partidos e seus respectivos valores.


O fundo eleitoral foi criado em 2017 para suprir as doações antes feitas por empresas, sendo distribuída em anos de eleições municipais ou gerais. Os recursos, que começam a ser distribuídos neste mês de junho, devem ser utilizados somente para financiamento das campanhas eleitorais, com prestação de contas posteriormente à Justiça Eleitoral.



Contas


Na divisão dos recursos, 2% são destinados de forma igual entre todos os partidos com estatutos registrados no TSE. Outros 35% são divididos entre os partidos que tenham pelo menos um representante na Câmara dos Deputados, na proporção do percentual de votos por eles obtidos na última eleição geral para essa Casa.


Mais 48% são fracionados entre os partidos, na proporção do número de representantes na Câmara dos Deputados, consideradas as legendas dos titulares e, por fim, 15% são divididos entre os partidos, na proporção do número de representantes no Senado Federal, também conforme as legendas dos titulares.







Fonte: Polêmica Paraíba com Agência Senado

Créditos: Polêmica Paraíba com Agência Senado