Padre Djacy Brasileiro recebe medalha Padre Inácio de Sousa Rolim da ALPB - BLOG DO GERALDO ANDRADE

terça-feira, 13 de dezembro de 2022

Padre Djacy Brasileiro recebe medalha Padre Inácio de Sousa Rolim da ALPB

 

Nyll Pereira (ALPB) e Carlos Melo

Coincidentemente, a solenidade de entrega da Medalha Padre Inácio de Sousa Rolim – Padre Rolim – ao Reverendíssimo Padre Djacy Pereira Brasileiro pela Assembleia Legislativa da Paraíba ocorreu no mesmo dia e quase no mesmo horário em que o presidente, Luís Inácio Lula da Silva era diplomado Presidente eleito pelo povo. Ambas as solenidades aconteceram nesta segunda-feira (12). Uma em João Pessoa e outra em Brasília. E foi uma feliz coincidência, pois, há questões em comum entre esses dois cidadãos brasileiros e o deputado estadual, Jeová Campos que propôs a homenagem ao religioso paraibano, através do Projeto de Resolução 211/2020. Os três têm um olhar especial para os mais humildes, são nordestinos e defenderam as obras da Transposição do Rio São Francisco para que a água, esse bem tão precioso, chegasse também aos rincões do Nordeste. Pe. Djacy, em 2007, ficou conhecido nacionalmente ao erguer uma cruz de latas em frente ao Palácio do Planalto, em Brasília, para chamar a atenção das autoridades para a extrema necessidade de dar início à execução do projeto de transposição de águas do Rio São Francisco, o que foi iniciado por Lula em seu primeiro governo. “Hoje, felizmente, a transposição é uma realidade e já começou a mudar a vida dos nordestinos para melhor e Lula voltou a ser presidente”, lembrou Jeová.

A solenidade começou com a formação da Mesa, seguiu com um minuto de silêncio em memória das vítimas do Covid no Brasil e depois da execução do Hino Nacional, o deputado Jeová Campos começou os trabalhos sendo secretariado pelo deputado, Branco Mendes. Para contextualizar a importância do papel do Pe. Rolim foi passado trechos do filme ‘O sonho de Inacim’, que conta a história do Padre Rolim que revolucionou a educação no sertão nordestino, sendo a mola propulsora da educação na região. Um vídeo falando sobre a luta do Pe. Djacy pelas obras da transposição foi exibido em seguida, para contextualizar a missão do sacerdote em defesa dos que clamam por dignidade e justiça social.

Após a exibição do vídeo, o deputado Jeová Campos chamou Pe. Djacy para receber a medalha Pe. Rolim junto de sua equipe de trabalho do gabinete. Além da medalha, o religioso foi presenteado com uma réplica de sua cruz de lata. Ao se pronunciar, o homenageado se dirigiu ao deputado Jeová, o chamando de ‘baluarte’ na luta em defesa do projeto de Transposição e as autoridades e familiares presentes em plenário. “Quero de coração agradecer ao deputado Jeová pela propositura de me conceder a medalha do grande educador sertanejo. Obrigada deputado, obrigada a ALPB, essa homenagem não me envaidece, mas me anima e encoraja a continuar na luta. Minhas raízes são sertanejas e como padre realizo-me defendendo o povo sofrido, da minha Paraíba, de modo particular do povo do sertão que sofre muito em tempo de seca”, disse ele.

Como Padre, continuou o homenageado, sou movido pelo sentimento cristão, evangélico, pela empatia e sempre tentei ser uma voz em defesa daquele povo sofredor e, em 2007, eu fui a Brasília, com minha Cruz de Lata, que simbolizava a sede, o sofrimento e o clamor do povo para sensibilizar o governo para que desse início ao projeto de Transposição. Ele lembrou ainda em sua fala do apoio dos deputados Marcondes Gadelha e Rômulo Gouveia e do Padre Luiz Couto, na sua ação em prol da Transposição, em Brasília. Sobre o deputado Jeová, ele destacou que ele abraçou essa causa com amor, com carinho e merece seu reconhecimento em defesa deste projeto. Falou dos apoios que recebeu de outras lideranças políticas e da Imprensa paraibana que sempre cedeu espaço para ele gritar e clamar, mas o apoio maior, segundo o Padre, foi do povo, que lhe fortaleceu a cada ação. Ele ainda fez um agradecimento especial a Hugo Moreira, assessor jurídico do deputado Jeová Campos. O Pe. Djacy encerrou seu discurso mostrando o chapéu que estava usando, destacando que foi com ele que esteve em Brasília. Por fim, ele lembrou seu slogan de vida: ‘Na fé, no amor e na luta, avante, avante e avante’. A solenidade foi prestigiada pelo deputado federal Luiz Couto.

Em sua fala, o deputado estadual lembrou que o homenageado é um homem de fé e compromissado com as causas do povo. “A Medalha Padre Inácio de Sousa Rolim que é outorgada às personalidades que se destacarem nas áreas educacional e religiosa no Estado da Paraíba, encontra no Pe. Djacy um representante à altura desta honraria, por justiça e mérito, como fruto de reconhecimento pelo incansável trabalho e,
especialmente, pelas ousadas e vitoriosas lutas em favor da transposição de
águas do Rio São Francisco, não temos dúvidas de que o homenageado, Padre Djacy Pereira Brasileiro, possuidor de um vasto currículo, se habilita ao recebimento desta Medalha”, disse Jeová.

Sobre o homenageado

O Padre Djacy é filho do casal Francisco Félix Brasileiro e de Justina Lopes Brasileiro. É natural da antiga cidade de Boqueirão dos Cochos, hoje Igaracy, na região do Vale do Pìancó, alto sertão paraibano. No dia 28 de dezembro de 1978, mudou-se para João Pessoa, juntamente com seus pais e os seus sete irmãos. Padre Djacy Brasileiro iniciou o ensino fundamental na antiga cidade de Boqueirão dos Cochos, concluindo-o na cidade de João Pessoa. Cursou os dois primeiros anos do ensino médio na cidade de João Pessoa, tendo concluído na cidade de Sapé. Em 1986, ingressou no Seminário Maior da cidade de Maceió (AL), para fazer o Curso de Filosofia. No ano de 1990, foi para o Seminário Maior de Teresina- (PI), objetivando cursar Teologia.
No ano de 1993, na cidade de Diamante, sertão paraibano, ordenou-se Diácono e, em 1994, na cidade de Itaporanga, ordenou-se Padre. Naquele mesmo ano, foi designado pelo Bispo da Diocese de Cajazeiras, Dom Matias Patrício de Macedo, para assumir as paróquias de Diamante e Boaventura, incluindo, na época, a cidade de Curral Velho, tida como capela, na região do Vale do Piancó. Em 2002 foi designado pelo Bispo da Diocese de Cajazeiras, Dom Jose Gonzalez Alonso, para assumir as paróquias de Santa
Cruz e Lastro, localizadas na região de Sousa.

No ano de 2011, o Bispo Dom José González o transferiu para a Paróquia de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, na cidade de Pedra Branca, sertão paraibano.No ano de 2018, foi transferido para a Arquidiocese da Paraíba. Neste mesmo ano, o Arcebispo Dom Manoel Delson o nomeou vigário paroquial para a Paróquia de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, no Bairro do Altiplano. Em Janeiro de 2020, foi nomeado vigário paroquial da Paróquia Menino Jesus de Praga, no Bairro dos Bancários, em João Pessoa. Com o seu lema religioso: na fé, no amor e na luta, abraçou diversas causas sociais, tendo em vista a dignidade da pessoa humana.No ano de 2007, com uma “cruz de latas” (que tornou-se símbolo da luta por água), de aproximadamente dez metros de altura, acampou em frente ao Palácio do Planalto, em Brasília. Com essa cruz de latas, percorreu diversas cidades da Paraíba, na sua luta pela água em prol do  desenvolvimento do alto sertão da Paraíba. o Padre Djacy Pereira Brasileiro sempre foi um abnegado na luta pela transposição de águas do Rio São Francisco, que minimizará o sofrimento do povo sertanejo, e trará desenvolvimento para aquela região carente de recursos hídricos.





Fonte: Polêmica Paraíba

Créditos: news comunicação