DISPUTA POR VOTOS: Cinco microrregiões do país podem definir eleição de presidente - BLOG DO GERALDO ANDRADE

domingo, 23 de outubro de 2022

DISPUTA POR VOTOS: Cinco microrregiões do país podem definir eleição de presidente

 

Com mais de 20 milhões de votos, faixas territoriais que englobam trechos de Minas Gerais, São Paulo e Rio Grande do Sul se tornam prioridade para candidatos no turno das eleições. Elas abrangem ao menos cinco microrregiões do Brasil que viraram objeto central da disputa entre o petista Luiz Inácio Lula da Silva e Jair Bolsonaro, candidato à reeleição pelo PL. As áreas são onde há a maior possibilidade de virada de votos.


Nos últimos quatro anos, essas regiões foram na contramão da cristalização histórica da votação no país. No primeiro turno de 2018, Bolsonaro venceu nelas, mas, neste ano, Lula foi o mais votado.


Já em Minas, há ainda uma identificação maior com políticas sociais dos governos Lula do que com o PT, o que explica também a vitória do ex-presidente no Estado neste pleito na primeira fase da disputa.


Nas últimas duas décadas, os mapas de votação do Brasil mostram uma divisão regional, com os candidatos petistas ao Palácio do Planalto com vitória majoritária em municípios do Nordeste e prevalência no Norte. Enquanto isso, nomes mais ligados à direita foram os mais votados no Centro-Oeste, no Sul e no Sudeste.


Minas Gerais aparece nesses pleitos como um Estado oscilante, que acaba por definir o resultado da eleição. Esse cenário se repetiu, ainda que em menor medida, no primeiro turno deste ano. Agora, na segunda etapa da campanha, os dois candidatos focam atividades justamente em cidades mineiras e em São Paulo para tentar consolidar ou virar votos.


O PT consolidou mais votos entre os mais pobres, enquanto Bolsonaro conquistou os mais ricos, o que se reflete no contraste visual dos votos nas regiões, mas também em regiões periféricas de grandes centros urbanos, por exemplo. Isso ajuda a explicar a retomada das cinco regiões “perdidas” pelos petistas em 2018.


O Triângulo Mineiro votou alinhado com Mato Grosso do Sul quatro anos atrás, ao concentrar o maior número de cidades em que Bolsonaro foi o preferido. Neste ano, porém, é possível notar mais municípios com voto majoritário à esquerda, o que deu vitória a Lula na região. O mesmo ocorreu na Zona da Mata e na Região Metropolitana de BH.


Para analistas, a volta do ex-juiz Sérgio Moro à campanha de Bolsonaro também é uma estratégia de recuperar o voto lavajatista. No primeiro turno, Lula teve mais votos que Bolsonaro em Porto Alegre.


Fonte: MaisPB com Estadão