Visando beneficiar os agricultores, Airton Pires pretende implantar plataforma de Energia Solar na Paraíba: “Sustentabilidade e um melhor custo benefício” – ENTENDA AS VANTAGENS - BLOG DO GERALDO ANDRADE

quarta-feira, 24 de agosto de 2022

Visando beneficiar os agricultores, Airton Pires pretende implantar plataforma de Energia Solar na Paraíba: “Sustentabilidade e um melhor custo benefício” – ENTENDA AS VANTAGENS

 O candidato a deputado estadual, Airton Pires (União Brasil), pretende implantar um projeto de plataforma de energia solar na Paraíba. De acordo com o candidato, sua proposta pretende beneficiar todo o estado da Paraíba, mas em especial o homem do campo.



O projeto visa de início ajudar o agricultor paraibano e incentivar o uso seguro da energia, fazendo com que a população possa ter o consumo gastando menos. De acordo com Airton Pires, o produtor rural paga muito caro por energia, onde se pode ter um gasto menor.


A energia solar é uma produção totalmente sustentável, não agride o meio ambiente e também visa trazer para a região a geração de emprego e renda, que é um dos focos principais do candidato.


O projeto que já está em discussão no congresso nacional, através de Airton Pires, deve funcionar por cooperativismo, onde as pessoas poderão se associar à cooperativa para ter acesso a uma energia mais barata. O candidato diz que pretende levar a discussão para a Assembléia, pois o projeto promete ser um sucesso e gerar muito emprego e renda no estado.


A Paraíba está de braços abertos para o futuro e os maiores beneficiados com o projeto será a população da região que terá a usina e também as famílias que produzem sua energia renovável. A matéria prima é o Sol, que se tem de graça, e por isso, a ideia é usá-lo a favor da população paraibana, seja na produção própria ou em massa.



Com o desenvolvimento das novas tecnologias, a agricultura tem a ganhar cada vez mais, e a energia solar é uma grande aliada do setor rural.


A energia solar na agricultura chega como uma opção que pode trazer diversas vantagens. O funcionamento envolve a atuação de painéis fotovoltaicos que são responsáveis por captar energia do sol, permitindo que seja utilizada como fonte de energia para abastecer equipamentos agrícolas e máquinas, além de realizar o bombeamento de água para irrigar plantações.


 Esses sistemas podem ser usados como energia elétrica e calor nas dependências de rebanhos e áreas comuns de casas. A energia solar quando usada na agricultura permite que o Produtor Rural tenha mais autonomia, tornando-se menos dependente de rede elétrica para utilização de energia.


A geração de energia obtida através do sistema fotovoltaico também é vantajosa por ser previsível, fazendo com que as fazendas não tenham que se preocupar com possíveis quedas de energia, sobretudo aquelas que têm armazenamento de bateria suficiente para a energia necessária.



No município de São João do Rio do Peixe, já existem duas usinas que são exemplos, para o projeto do candidato, onde se produz uma energia solar limpa e sustentável, visando o bem estar do homem do campo.


É importante frisar que o sertão paraibano tem o maior potencial de geração de energia limpa; na região do Rio do Peixe, devido ao relevo natural, existem terras com posição geográfica bem situada ao sol, e naturalmente a região tem um maior período do ano com um sol forte, sendo assim um local de polo industrial perfeito para a produção de energia solar.


 A usina Rio do Peixe II pertence a empresa Energisa Geração Central Solar Rio do Peixe II S.A, uma controlada direta da Energisa no semiárido paraibano, na cidade de São João do Rio do Peixe.


O investimento para o projeto está em cerca de R$ 138,5 milhões, isento dos impostos, o que representa uma economia de R$ 14,2 milhões com o incentivo previsto pelo Reidi. As obras vão até agosto de 2022. decisão do MME para a inclusão do projeto no Reidi envolve a implementação de aproximadamente 36 MW de capacidade, sendo distribuída entre 22 unidades geradoras e um sistema de transmissão formado por uma subestação elevadora de 34,5/69 kV. Essa subestação também está prevista para ser compartilhada com a UFV Rio do Peixe I, além de uma linha em 69 kV, que irá até o ponto de conexão na subestação Cajazeiras, sob responsabilidade da Energisa Paraíba.



Com o projeto, existirá uma economia de até 95% na conta de energia. Para quem produz em larga escala é viável a sua comercialização, um grande exemplo são as duas usinas já existentes em São João do Rio do Peixe, onde elas produzem para a iniciativa privada..


Para quem gera sua própria energia para consumo de casa, a economia é o principal fator devido às taxas que a concessionária e o governo lhe cobram.


Airton Pires diz que é fundamental trazer a tecnologia para o estado, para que todos os paraibanos e principalmente os agricultores tenham acesso a uma tecnologia limpa e uma energia com um melhor custo benefício.


O candidato relata ainda o alto custo da energia elétrica, e ressalta que com a implantação da energia solar, os agricultores e agricultoras terão oportunidade de reduzir seus custos de produção.







Fonte: Assessoria

Créditos: Polêmica paraíba