PT e Veneziano acionam justiça para impedir João de usar imagem de Lula na campanha - BLOG DO GERALDO ANDRADE

segunda-feira, 22 de agosto de 2022

PT e Veneziano acionam justiça para impedir João de usar imagem de Lula na campanha

 

O Partido dos Trabalhadores (PT) e o candidato ao Governo da Paraíba, Veneziano Vital (MDB), acionaram o Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba (TRE-PB), nesta segunda-feira (22), para impedir que o candidato à reeleição, o governador João Azevêdo (PSB), utilize a imagem do candidato à presidência Lula (PT) em sua campanha eleitoral.


A coligação “A Paraíba tem pressa de ser feliz” mostrou que adesivos, panfletos e santinhos com a figura do petista e do candidato à vice-presidência Geraldo Alckmin (PSB), ao lado de João, estão sendo veiculados pela Paraíba. No documento enviado ao TRE, as partes ressaltaram que o uso da imagem fere artigo do Código Eleitoral.


“Não existem candidaturas fora dos respectivos partidos, coligações e federações, nem logicamente candidaturas que possam ser indiferentemente patrocinadas por quaisquer partidos ou coligações, principalmente se estes partidos ou coligações são rivais no processo político”, destacaram à justiça.


“A propaganda hostilizada nessa representação encerra insuperável violação aos legítimos conceitos de publicidade, pois difunde conteúdo que envolve candidato de partido/coligação concorrente”, complementou.


O ex-governador do Estado de São Paulo, Geraldo Alckmin, esteve presente na convenção do Partido Socialista Brasileiro (PSB), onde destacou que sua chapa presidencial apoia a candidatura do atual governador. Aliás, o socialista paraibano sempre ressaltou apoio ao candidato petista, com direito à encontro com o ex-presidente no Rio Grande do Norte.


Lula, que visitou o estado da Paraíba por último em toda a região Nordeste, justamente para evitar essa indecisão de apoio entre o senador e o governador ao máximo, optou por apoiar Veneziano, cuja chapa ainda possui o ex-governador da Paraíba, Ricardo Coutinho (PT), concorrendo ao Senado Federal.


Leonardo Abrantes – MaisPB