Bolsonaro diz que estratégia Lula é aprovar o aborto no STF e alega o ex-presidente irá indicar ministros “abortistas” - BLOG DO GERALDO ANDRADE

quinta-feira, 14 de abril de 2022

Bolsonaro diz que estratégia Lula é aprovar o aborto no STF e alega o ex-presidente irá indicar ministros “abortistas”

 

O presidente Jair Bolsonaro (PL) atacou, mais uma vez, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), que está à frente em todas as pesquisas sobre as eleições deste ano. Bolsonaro afirma que caso o petista seja eleito chefe do Executivo federal, ele indicará ministros “abortistas” para o Supremo Tribunal Federal (STF).


A declaração foi feita durante entrevista ao canal Linha de Frente, da afiliada do SBT na Bahia, nessa terça-feira ,(12). A conversa foi divulgada nesta quarta-feira, (13).


Segundo Bolsonaro, atualmente a Suprema Corte conta com “cinco ou seis” ministros favoráveis ao aborto. Ele disse, então, que a estratégia de Lula será aprovar a pauta pelo STF, e não pelo Congresso Nacional, uma vez que, de acordo com o presidente, o petista não vai conseguir entre os parlamentares.


“Quando se fala em aborto, o Lula defende o aborto. Vamos supor que o Lula consiga aprovar o aborto dentro do Parlamento — eu acho difícil. Por que não consegue? Ele vai aprovar o aborto dentro do Supremo Tribunal Federal. Então, hoje, tem cinco ou seis ministros do Supremo que já são favoráveis ao aborto. Se o Lula voltar, ele bota mais dois em 2023”, disse Bolsonaro.


“Está na cara que vai botar abortistas lá também. Então, o aborto será aprovado no Brasil, se o Lula voltar, pelo Supremo Tribunal Federal, a exemplo de como foi aprovado o aborto na Colômbia”, acrescentou.


Em fevereiro, a Corte Constitucional da Colômbia descriminalizou o aborto nas primeiras 24 semanas de gravidez. Com a decisão, mulheres que optarem pelo aborto até o sexto mês de gravidez não serão punidas.


Antes da determinação, a Colômbia só permitia o aborto em casos de estupro, se a saúde da mãe estivesse em risco, ou se o feto apresentasse alguma malformação que comprometesse a sua sobrevivência.


Chapa Lula-Alckmin

Durante a entrevista, o presidente Jair Bolsonaro ainda voltou a criticar a chapa entre o ex-presidente Lula e o ex-governador Geraldo Alckmin (PSB). Segundo o atual mandatário da República, os dois eram como “cão e gato” e se uniram “pelo poder”.


“Então olha só: ou eles mentiram no passado ou mentem no presente. E eu entendo que não ter que ter uma luta pelo poder, tem que ter um consenso por parte da opinião pública. Até eu queria saber a opinião do Alckmin, que sempre foi um católico fervoroso, o que ele falaria sobre o aborto, já que o chefe dele quer o aborto”, declarou o presidente.


“O Alckmin está ajudando o Lula a voltar à cena do crime. Crime esses cometidos por Lula no passado, crimes tão criticados pelo Geraldo Alckmin. Essa chapa perdeu a sua razão de ser, perdeu a sua credibilidade perante a opinião pública”, prosseguiu.


História

Alckmin e Lula se enfrentaram no segundo turno da eleição presidencial de 2006, quando o petista foi reeleito.


Um dos fundadores do PSDB, o ex-governador esteve, durante 33 anos, na legenda, mas deixou a sigla após a vitória de João Doria nas prévias para a escolha do político tucano que deverá disputar a Presidência da República. Dentro do partido, o grupo de Alckmin rivalizava com o do ex-governador de São Paulo.


No fim de março, Alckmin optou por se filiar ao PSB, partido que estará na coligação de Lula, e já apontava sua disposição em compor a chapa, ao afirmar que o petista é “aquele que melhor reflete o sentimento de esperança do povo brasileiro”.




Fonte: Polêmica Paraíba

Créditos: Metrópoles