Milionário oferece custear viagem de quem for a ato antidemocrático de Bolsonaro – - BLOG DO GERALDO ANDRADE

quarta-feira, 25 de agosto de 2021

Milionário oferece custear viagem de quem for a ato antidemocrático de Bolsonaro –

 

O fundador da rede de lojas de varejo Mário Gazin, apareceu neste final de semana oferecendo custear a viagem de quem aceitar protestar em favor do presidente Jair Bolsonaro, no dia sete de setembro. A manifestação, que ocorrerá na capital federal, possui uma pauta de discussões claramente antidemocrática ao pedir a destituição de membros dos poderes Judiciário e Legislativo, assim como busca atender o desejo do presidente por abalos na ordem constitucional.


Em um vídeo que circula em grupos de apoio bolsonaristas à manifestação, Mário Gazin indica que pagará o ônibus de quem se dispor a fazer a viagem. A frota sairia em frente à sede da empresa, em uma cidade no interior do Paraná, segundo o empresário. Na cidade de 8.900 habitantes que é sede da empresa, Bolsonaro levou a eleição em primeiro turno com 55% dos votos (ou 2.861 eleitores), e o segundo com 64,4% (ou 3.394 votos).


Dono de uma rede de lojas de varejo cujo faturamento já superou os R$ 4 bilhões no último ano, Gazin é um defensor ferrenho de Jair Bolsonaro – o empresário já apareceu junto de outros defensores do círculo de amizades do presidente, como o empresário catarinense Luciano Hang.


Em um vídeo de 2018, ainda durante a campanha à presidente, ambos aparecem juntos e abraçados – Hang o chama de “lenda” – e Mário Gazin indica em quem votar no primeiro turno: “Primeiro turno: Bolsonaro”, diz. A justificativa para o voto, emenda, parece cabível para sua convocação mais recente: “Para não ter escolha, para não termos de gastar mais dinheiro, para todo mundo não ficar gastando no segundo turno”.


Luciano Hang é um dos investigados pelo Supremo Tribunal Federal (STF), por supostamente patrocinar atos antidemocráticos, organizados da mesma maneira que este onde Mário Gazin pretende enviar interessados.


“Ninguém paga passagem, ninguém paga nada, esse é o trabalho que nós temos para defender o Brasil”, disse ele.




Fonte: POLÊMICA PARAÍBA

Créditos: Congresso em Foco com POLÊMICA PARAÍBA