Maia avisa que vai sair do DEM na segunda. Partido acredita em permanência - BLOG DO GERALDO ANDRADE

sexta-feira, 5 de fevereiro de 2021

Maia avisa que vai sair do DEM na segunda. Partido acredita em permanência

 

O ex-presidente da Câmara Rodrigo Maia (DEM-RJ) avisou a colegas de partido que vai anunciar na próxima segunda-feira (8) a desfiliação do DEM. A informação foi confirmada pelo Congresso em Foco com o secretário-geral da legenda, Pauderney Avelino.


Apesar disso, o partido acredita que Maia vai se manter filiado. "Sim [Maia falou que vai sair do DEM na segunda-feira], mas não creio que vá. Estamos conversando com ele", declarou Pauderney.



O conteúdo deste texto foi publicado antes no Congresso em Foco Premium, serviço exclusivo de informações sobre política e economia do Congresso em Foco. Para assinar, entre em contato com comercial@congressoemfoco.com.br.

4 fev, 2021

O deputado do Rio de Janeiro tentou costurar o apoio do DEM ao candidato a presidente da Câmara Baleia Rossi (MDB-SP), mas mais da metade da bancada preferiu ficar com Arthur Lira (PP-AL), novo presidente da Casa e aliado do governo federal. Maia saiu frustrado ao ver o seu próprio partido desembarcar da aliança de seu apadrinhado na Câmara e começou a falar em desfiliação.


>Centrão espera indicar ministro da Cidadania na próxima semana


Maia conversou nesta semana com integrantes do PSL e do Cidadania, mas ambos os partidos não receberam definição se ele vai se filiar.


O ex-presidente da Câmara vai se reunir neste fim de semana com o prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes (DEM), e o secretário de Fazenda do Rio, Pedro Paulo (DEM). Os dois pertencem ao mesmo grupo político e devem seguir a decisão que Maia tomar. Apesar disso, aliados defendem que não sejam feitos movimentos bruscos e que a saída do DEM tem que ser analisada com cautela.



O deputado carioca não fala com o presidente nacional do DEM, ACM Neto, desde o resultado da eleição na Câmara. Neto quer manter Maia no partido, mas prefere "não ficar em cima" e deixar ele amadurecer a decisão.


Fonte: Congresso em Foco