Estadão: paraibano ganha força para substituir Maia - BLOG DO GERALDO ANDRADE

domingo, 2 de fevereiro de 2020

Estadão: paraibano ganha força para substituir Maia

Adicionar legenda
Visto como perfil conciliador e com a simpatia do Planalto, o deputado paraibano Aguinaldo Ribeiro (PP) é tido como sucessor ideal de Rodrigo Maia (DEM-RJ) no comando da Câmara.

A coluna de política do Estado de S. Paulo informa que os perfis apresentados como “ideais” para o novo presidente da Casa vestem sob medida o figurino de líderes do Centrão: conciliador, pulso firme e experiência.

Conciliador para não gerar atritos desnecessários na relação com o jeitão “macho alfa” de Luiz Fux e de Jair Bolsonaro, e o “pulso firme”, para defender o Legislativo sem fugir das brigas com os demais Poderes.

Além de Ribeiro, o alagoano Arthur Lira, também do PP, também é lembrado.



Centrão já tem figurino pronto para sucessão de Maia

A controversa decisão do ministro Luiz Fux de suspender o juiz de garantias virou combustível na já intensa luta nos bastidores pela sucessão de Rodrigo Maia no comando da Câmara. Os perfis apresentados como “ideais” para o novo presidente da Casa vestem sob medida o figurino de líderes do Centrão: o “conciliador”, para não gerar atritos desnecessários na relação com o jeitão “macho alfa” de Fux e de Jair Bolsonaro, e o “pulso firme”, para defender o Legislativo sem fugir das brigas com os demais Poderes. Fux assume o STF em setembro.

Comum. Pré-requisito mesmo nesses modelos é a “experiência”. Com ela, o Centrão esperava fechar a porta da sucessão para os novatos e emplacar um de seus veteranos da Casa.

Quem é quem. No perfil pulso firme se destaca o líder do PP, Arthur Lira (AL). Aguinaldo Ribeiro (PB), do mesmo partido, é tido como mais conciliador e teria a simpatia do Planalto. Ambos sonham com o apoio de Maia, que deixa o cargo em fevereiro de 2021.

Xii… Entre deputados governistas, há certo receio de que a condução da agenda da Câmara possa degringolar de vez (na perspectiva do Planalto, claro) a partir de 2021. Principalmente se os deputados optarem por um nome mais combativo para o lugar de Maia.



Fonte: Maurílio Júnior – Mais PB